Avances y retrocesos de la sostenibilidad en la Amazonia: un análisis de la gobernanza socioambiental en la Amazonia

João Paulo RIBEIRO CAPOBIANCO

Resumen


El presente artículo discute la hipótesis de que las intervenciones del Gobierno Federal en la Amazonia son determinantes para su gobernanza socioambiental, siendo la fluctuación de los precios de las commodities, cambios de divisas y demás factores socioeconómicos y de mercado importantes, aunque de impacto secundario en la variación de las tasas de degradación cuando hay una acción proactiva del Estado. Por tanto, se analiza la actuación del Gobierno Federal en la región entre las décadas de 1950 y 2010, identificando, a lo largo de este período, cuatro ciclos de políticas públicas bien definidos. El primero, que comprende las décadas entre 1950 y 1970, se caracteriza por la intensa y coordinada intervención estatal en los procesos de promoción de la ocupación e integración forzada de la Amazonia al resto del país. El segundo, de mediados de la década de 1980 a inicios de los años 2000, fuertemente influenciado por la naciente movilización internacional en defensa del medio ambiente, caracterizado por el reflujo de la actuación orientada a la integración regional por parte del Gobierno, con protagonismo limitado de los recién creados y frágiles órganos ambientales. El tercero, de 2003 a 2009, se define por la recuperación del protagonismo del Gobierno Federal, con una fuerte actuación integrada para el combate de la degradación socioambiental. El cuarto y último, de inicios de la década de 2010 hasta hoy en día, se caracteriza por la reducción del protagonismo y el abandono de la pauta socioambiental por parte del gobierno.


Palabras clave


Amazonia; deforestación; gobernanza socioambiental; conservación ambiental.

Texto completo:

PDF (Português )

Referencias


Albert, B. (1991). Terra indígenas, política ambiental e geopolítica militar no desenvolvimento da Amazônia: a propósito do caso Yanomami. Belém: Museu Paranaense Emilio Goeldi, Coleção Eduardo Galvão.

Almeida, O. T. (1996). A evolução da fronteira amazônica: oportunidades para um desenvolvimento sustentável. Belém: Imazon.

Amazônia real (2016). “Empresas fazem acordos da moratória da carne”. Recuperado de [http://amazoniareal.com.br/empresas-fazem-acordos-da-moratoria-da-carne/]. Consultado [04-01-2019].

Andersen, L. E. et al. (2002). The Dynamics of deforestation and economic growth in the Brazilian Amazon. Cambridge: Cambridge University Press.

Arima, E. Y., Richards, P., Walter, R. T. & Caldas, M. M. (2011). Statistical confirmation of indirect land use change in the Brazilian Amazon. Environmental Letters, 6(2).

Becker, B. K. (1982). Geopolítica da Amazônia. A nova fronteira de recursos. Rio de Janeiro: Zahar Ed.

Becker, B. K. (2000). Reflexões sobre políticas de integração nacional e de desenvolvimento regional. Em Kingo, M. D. Reflexões sobre políticas de integração nacional e de desenvolvimento regional (pp. 71- 138). Brasília: Ministério da Integração Nacional.

Becker, B. K. (2005). Geopolítica da Amazônia. Estudos avançados, 19, 71- 86.

Becker, B. K. (2010). Novas territorialidades na Amazônia: desafio às políticas públicas. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, 5, 17- 23.

Black, C. (2015). O preço da Soja nos últimos 10 anos. Panorama Internacional 1(1). Recuperado de [http://panoramainternacional.fee.tche.br/article/o-preco-da-soja-no-ultimo-decenio/].

Brito, B. & Cardoso, D. J. (2015). Regularização fundiária no Pará: afinal qual é o problema?. Belém: Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia.

Capobianco, J. P. R. (2001). Biodiversidade na Amazônia brasileira. São Paulo: Instituto Socioambiental.

Capobianco, J. P. R. (2002). Biomas brasileiros. Em Camargo, A., Capobianco J. P. R. & Oliveira, J. A. P. (Org). Meio Ambiente Brasil: avanços e obstáculos pós Rio- 92. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Capobianco, J. P. R. (2009). A fragilização da política ambiental do Brasil em crescimento econômico na era das mudanças climáticas. Interesse nacional, 2, 42- 51.

Capobianco, J. P. R. (2014). Gestão socioambiental na Amazônia no período 2003 a 2010: da geopolítica de integração desenvolvimentista ao Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento. VI Congreso Iberoamericano de Estudios Territoriales y Ambientales, pp. 3078- 3093. São Paulo.

Capobianco, J. P. R. (2017). Governança socioambiental brasileira na década de 2000. São Paulo.

Cardoso, F. H. & Müller, G. (2008). Amazônia: expansão do capitalismo. São Paulo: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais. Recuperado de [http://books.scielo.org/id/mnx6g/pdf/cardoso-9788599662731.pdf]. Consultado [07-2018].

Celentano, D. & Veríssimo, A. (2007). O avanço da fronteira na Amazônia: do boom ao colapso. Belém: Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (1988). Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm]. Consultado [04-01-2019].

Costa, W. M. O Futuro da Gran Amazonía – um desafio para os sul-americanos. Recuperado de [seer.ufms.br/index.php/revpaiaguas/article/download/999/608]. Consultado [09-08-2018].

Decreto nº 6.514, de 22 de julho de 2008 (2008). Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/decreto/d6514.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto nº 63.952, de 31 de dezembro de 1968 (1968). Cria no Ministério das Minas e Energia o Comitê Coordenador dos Estudos Energéticos da Amazônia. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-63952-31-dezembro-1968-405481-publicacaooriginal-1-pe.html]. Consultado [04-01-2019].

Decreto nº 96.944, de 12 de outubro de 1988 (1988). Cria o Programa de Defesa do Complexo de Ecossistemas da Amazônia Legal e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/D96944.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto nº 97.632, de 10 de abril de 1989 (1989). Dispõe sobre a regulamentação do Artigo 2°, inciso VIII, da Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/D97632.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto nº 97.637, de 10 de abril de 1989 (1989). Dispõe sobre a suspensão temporária dos incentivos fiscais e créditos oficiais visando a reavaliação e reorientação dos mesmos, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/d97637.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto nº 99.274, de 6 de junho de 1990 (1990). Regulamenta a Lei nº 6.902, de 27 de abril de 1981, e a Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, que dispõem, respectivamente sobre a criação de Estações Ecológicas e Áreas de Proteção Ambiental e sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/antigos/d99274.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto-Lei nº 1.106, de 16 de junho de1970 (1970). Cria o Programa de Integração Nacional, altera a legislação do impôsto de renda das pessoas jurídicas na parte referente a incentivos fiscais e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1965-1988/Del1106.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967 (1967). Dispõe sôbre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-lei/Del0200.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto-Lei nº 288, de 28 de fevereiro de 1967 (1967). Altera as disposições da Lei número 3.173 de 6 de junho de 1957 e regula a Zona Franca de Manaus. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del0288.htm]. Consultado [04-01-2019].

Decreto-Lei nº 764, de 15 de agosto de1969 (1969). Autoriza a constituição da sociedade por ações Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - C.P.R.M. dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1965-1988/Del0764.htm]. Consultado [04-01-2019].

Diário Oficial da União (DOU) (1999). Instrução normativa nº 4, de 25 de fevereiro de 1999. Recuperado de [http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=170&data=26/02/1999]. Consultado [04-01-2019].

Ferreira, F. S. S. (2010). Políticas públicas de ordenamento territorial no Baixo Amazonas (PA): uma análise a partir das políticas e programas dos governos federal e estadual na área de influência da rodovia BR-163 (Cuiabá-Santarém).

Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO). (2010). Global Forest Resources Assessment. Forestry Paper 163. Roma.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). (2014). Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite: Projeto Prodes. Recuperado de [http://www.obt.inpe.br/prodes/index.html]. Consultado [10-08-2018]

ISA- Instituto Socioambiental. (2005). Mato Grosso- Amazônia (i)Legal. Brasília: ISA.

Kohlhepp, G. (2002). Conflitos de interesse no ordenamento territorial da Amazônia brasileira. Estudos Avançados, 16(45), 37- 61.

Lei nº 11.284, de 2 de março de 2006 (2006). Dispõe sobre a gestão de florestas públicas para a produção sustentável; institui, na estrutura do Ministério do Meio Ambiente, o Serviço Florestal Brasileiro - SFB; cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal - FNDF; altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, 5.868, de 12 de dezembro de 1972, 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, 4.771, de 15 de setembro de 1965, 6.938, de 31 de agosto de 1981, e 6.015, de 31 de dezembro de 1973; e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11284.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 11.952, de 25 de junho de 2009 (2009). Dispõe sobre a regularização fundiária das ocupações incidentes em terras situadas em áreas da União, no âmbito da Amazônia Legal; altera as Leis nºs 8.666, de 21 de junho de 1993, e 6.015, de 31 de dezembro de 1973; e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2009/lei-11952-25-junho-2009-589064-norma-pl.html]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 (2012). Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 12.678, de 25 de junho de 2012 (2012). Dispõe sobre alterações nos limites dos Parques Nacionais da Amazônia, dos Campos Amazônicos e Mapinguari, das Florestas Nacionais de Itaituba I, Itaituba II e do Crepori e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós; altera a Lei no 12.249, de 11 de junho de 2010; e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12678.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 13.465, de 11 de julho de 2017 (2017). Dispõe sobre a regularização fundiária rural e urbana, sobre a liquidação de créditos concedidos aos assentados da reforma agrária e sobre a regularização fundiária no âmbito da Amazônia Legal; institui mecanismos para aprimorar a eficiência dos procedimentos de alienação de imóveis da União; altera as Leis nos 8.629, de 25 de fevereiro de 1993, 13.001, de 20 de junho de 2014, 11.952, de 25 de junho de 2009, 13.340, de 28 de setembro de 2016, 8.666, de 21 de junho de 1993, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 12.512, de 14 de outubro de 2011, 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), 13.105, de 16 de março de 2015 (Código de Processo Civil), 11.977, de 7 de julho de 2009, 9.514, de 20 de novembro de 1997, 11.124, de 16 de junho de 2005, 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 10.257, de 10 de julho de 2001, 12.651, de 25 de maio de 2012, 13.240, de 30 de dezembro de 2015, 9.636, de 15 de maio de 1998, 8.036, de 11 de maio de 1990, 13.139, de 26 de junho de 2015, 11.483, de 31 de maio de 2007, e a 12.712, de 30 de agosto de 2012, a Medida Provisória no 2.220, de 4 de setembro de 2001, e os Decretos-Leis nos 2.398, de 21 de dezembro de 1987, 1.876, de 15 de julho de 1981, 9.760, de 5 de setembro de 1946, e 3.365, de 21 de junho de 1941; revoga dispositivos da Lei Complementar no 76, de 6 de julho de 1993, e da Lei no 13.347, de 10 de outubro de 2016; e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13465.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965 (1965). Institui o novo Código Florestal. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4771.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 5.173, de 27 de outubro de 1966 (1966). Dispõe sôbre o Plano de Valorização Econômica da Amazônia; extingue a Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA), cria a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM), e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5173.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 5.174, de 27 de outubro de 1966 (1966). Dispõe sôbre a concessão de incentivos fiscais em favor da Região Amazônica e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/LEIS/L5174.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 7.735, de 22 de fevereiro de 1989 (1989). Dispõe sobre a extinção de órgão e de entidade autárquica, cria o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7735.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 7.797, de 10 de julho de 1989 (1989). Cria o Fundo Nacional de Meio Ambiente e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7797.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 7.803, de 18 de julho de 1989 (1989). Altera a redação da Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, e revoga as Leis nºs 6.535, de 15 de junho de 1978, e 7.511, de 7 de julho de 1986. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7803.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 (1998). Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9605.htm]. Consultado [04-01-2019].

Lira, S. R. B. (2005). Morte e ressurreição da SUDAM: uma análise da decadência e extinção do padrão de planejamento regional na Amazônia. Tese de doutorado, Universidade Federal do Pará, Belém, Brasil.

Loureiro, V. R. (2002). Amazônia: uma história de perdas e danos, um futuro a (re)construir. Estudos Avançados, 16 (45), 107- 121.

Madeira, W. (2014). Plano Amazônia Sustentável e desenvolvimento desigual. Ambiente & Sociedade, XVIII (3), 19- 34.

Malta, R., Silva, M. A. C. V., Silva, I. S. & Botelho Filho, F. B. (2018). Variação do Preço do Boi Gordo no período de 2010 a 2015: uma análise econométrica. Brasília: Universidade de Brasília. Recuperado de [http://www.convibra.com.br/upload/paper/2017/147/2017_147_13596.pdf]. Consultado [05-2018].

Medida Provisória nº 458, de 10 de fevereiro de 2009 (2009). Dispõe sobre a regularização fundiária das ocupações incidentes em terras situadas em áreas da União, no âmbito da Amazônia Legal, altera as Leis nºs 8.666, de 21 de junho de 1993, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 6.383, de 7 de dezembro 1976, e 6.925, de 29 de junho de 1981, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/medpro/2009/medidaprovisoria-458-10-fevereiro-2009-586155-publicacaooriginal-109566-pe.html]. Consultado [04-01-2019].

Medida Provisória nº 558, de 5 de janeiro de 2012 (2012). Dispõe sobre alterações nos limites dos Parques Nacionais da Amazônia, dos Campos Amazônicos e Mapinguari, das Florestas Nacionais de Itaituba I, Itaituba II e do Crepori e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/medpro/2012/medidaprovisoria-558-5-janeiro-2012-612251-norma-pe.html]. Consultado [04-01-2019].

Medida Provisória nº 756, de 19 de dezembro de 2016 (2016). Altera os limites do Parque Nacional do Rio Novo, da Floresta Nacional do Jamanxim e cria a Área de Proteção Ambiental do Jamanxim. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/Mpv/mpv756.htm]. Consultado [04-01-2019].

Medida Provisória nº 758, de 19 de dezembro de 2016 (2016). Altera os limites do Parque Nacional do Jamanxim e da Área de Proteção Ambiental do Tapajós. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/medpro/2016/medidaprovisoria-758-19-dezembro-2016-784063-norma-pe.html]. Consultado [04-01-2019].

Medida Provisória nº 759, de 22 de dezembro de 2016 (2016). Dispõe sobre a regularização fundiária rural e urbana, sobre a liquidação de créditos concedidos aos assentados da reforma agrária e sobre a regularização fundiária no âmbito da Amazônia Legal, institui mecanismos para aprimorar a eficiência dos procedimentos de alienação de imóveis da União, e dá outras providências. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Mpv/mpv759.htm]. Consultado [04-01-2019].

Mello, N. A. (2006). Políticas territoriais na Amazônia. São Paulo: Annablume.

Mello, N. A. (2011). Território e gestão ambiental na Amazônia: terras públicas e os dilemas do Estado. São Paulo: Annablume.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (1998). Primeiro relatório para a Conservação sobre diversidade biológica. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2001). Causa e dinâmica do desmatamento na Amazônia. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2002). Avaliação e ações prioritárias para a conservação, utilização sustentável e repartição de benefícios da biodiversidade do Bioma Amazônia. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2005). Sistema de licenciamento ambiental em propriedades rurais do estado do Mato Grosso: Análise de lições na sua implementação- relatório final. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2006). Avaliação do programa Piloto- Resumo Executivo. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2007). Política ambiental integrada para o desenvolvimento sustentável. Relatório de Gestão 2003 a 2006. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2008). Plano Amazônia Sustentável: diretrizes para o desenvolvimento sustentável da Amazônia Brasileira. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Brasil. (2008). Plano de ação para a prevenção e controle do desmatamento na Amazônia Legal- PPCDAm- Documento de Avaliação 2004-2007. Brasília: MMA.

Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Unidades de Conservação por Bioma. Recuperado de [http://www.mma.gov.br/images/arquivo/80112/CNUC_Biomas_Out14.pdf]. Consultado [12-2014].

Neves, E. M. S. C., et al. (2015). O processo de municipalização da estratégia de prevenção e combate ao desmatamento na Amazônia. Estudos de casos sobre municípios integrantes da lista de municípios prioritários do Ministério do Meio Ambiente. Revisão 1. Recuperado de [http://www.prpa.mpf.mp.br/Relatorio%20Processo%20Municipalizacao%20Prevencao%20e%20Controle%20Desmatamento%20Amazonia%202014.pdf]. Consultado [09-2016].

Nobre, A. D. (2014). O Futuro climático da Amazônia. Relatório de avaliação científica. Articulação regional amazônica (ARA). Recuperado de [http://www.ccst.inpe.br/wp-content/uploads/2014/10/Futuro-Climatico-da-Amazonia.pdf]. Consultado [01-2015].

Resolução nº 379, de 19 de outubro de 2006 (2006). Cria e regulamenta sistema de dados e informações sobre a gestão florestal no âmbito do Sistema Nacional do Meio Ambiente-SISNAMA. Brasília, DF, Brasil. Recuperado de [http://www2.mma.gov.br/port/conama/res/res06/res37906.pdf]. Consultado [04-01-2019].

Saatchi, S. S., Houghton R. A., Santos Alvará, R. C. dos, Soares, J. V. & Yu, Y. (2017). Distribution of aboveground live biomass in the Amazon basin. Global Change Biology 13(4), 816-837. Doi: 10.1111/j.1365-2486.2007.01323.x. Recuperado de [https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/j.1365-2486.2007.01323.x]. Consultado [04-01-2019].

Schmitt, J. (2016). Crime sem castigo: a efetividade da fiscalização ambiental para o controle do desmatamento ilegal na Amazônia. Brasília: Universidade de Brasília.

Toni, F. (2011). Descentralization and REDD+ in Brazil. Forests, 2, 66- 85. Recuperado de [http://www.mdpi.com/1999-4907/2/1/66/htm]. Consultado [02-2016].

Tribunal de Contas da União. (2015) Relatório da Auditoria do Programa Terra Legal. Recuperado de [https://tcu.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/354339651/relatorio-de-auditoria-ra-1585920142/inteiro-teor-354339658?#]. Consultado [07-2018].




DOI: http://dx.doi.org/10.14201/reb20196116178

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.